Obstáculos na adopção de serviços Cloud

Um estudo da Trend Micro revela que, 43% dos decisores de TI teve falhas ou problemas de segurança com o seu fornecedor cloud no último ano.

A maioria das empresas reconhece algum receio perante a adopção da cloud computing, e com razão: quase metade (43%) dos responsáveis pela tomada de decisões em TI confirmou uma falha ou um problema de segurança com o seu fornecedor cloud nos últimos 12 meses, segundo um recente estudo de segurança na cloud da Trend Micro.

O inquérito, em que participaram 1.200 responsáveis pela tomada de decisões em TI nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Índia, Canadá e Japão, revela as inseguranças e preocupações dos participantes relativamente à sua “viagem nas nuvens”.


O estudo confirma que, em geral, as empresas estão a mover-se para a nuvem a bom ritmo, iniciando uma maré gigante que multiplica o número de novas implementações. Ainda que sejam pouco mais de 10% os inquiridos que actualmente têm projectos de computação cloud em mente (ou em projecto), cerca de metade já os têm a funcionar ou trabalham em diversas fases-piloto com novas aplicações na nuvem.

Mas apesar da crescente popularidade da cloud computing na maioria dos países, a confusão ainda existe entre as empresas até ao ponto de que algumas nem sequer sabem o que é esta classe de serviços. De facto, quando se lhes apresentou uma lista de serviços de cloud computing, 93% dos inquiridos disse estar a trabalhar actualmente com pelo menos um deles, enquanto que os restantes 7% assegurou que a sua empresa não tem intenção de implementar nenhum serviço deste tipo, o que faz supor alguma contradição.

A segurança continua a ser o principal obstáculo quando chega à hora de apostar na adopção da cloud computing, e muitas empresas consideram que o rendimento e a disponibilidade também o são quase ao mesmo nível.

Segundo o estudo, os inquiridos asseguram que os principais obstáculos para a adopção de serviços cloud são dois: a preocupação com a segurança, seja dos dados ou da infraestrutura cloud (com 50%), e o rendimento e a disponibilidade dos serviços na nuvem (com 48%).

Quando se trata de salvaguardar os dados sensíveis armazenados na nuvem, as empresas apostam na encriptação, segundo 85% dos inquiridos. E antes de dar o passo para a adopção da cloud computing, mais de metade assegurou estar mais disposto a ter em conta um determinado fornecedor de cloud se este incluir na sua oferta a cifra de informação. Claro que as técnicas de encriptação mais utilizadas actualmente ainda são vulneráveis.
(Computerworld.es)

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[5 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.