O protocolo IPV6 arrancará em 2012

Este foi o ano em que o IPv6 foi notícia mas 2012 deve ser o ano em que o protocolo Internet da próxima geração será mais utilizado pelas operadoras e empresas nos EUA.

O IPv6 é uma actualização há muito aguardada para o principal protocolo Internet de comunicação, o chamado IPv4.
O IPv6 incorpora um sistema alargado de endereçamento que pode suportar milhões de dispositivos conectados directamente à Internet. Mas o IPv6 não é retrocompatível com o IPv4, que está a ficar sem endereços.

Os operadores de rede podem suportar ambos os protocolos, no que é chamado de modo “dual-stack”, ou traduzir entre IPv4 e IPv6, o que pode acrescentar latência e custos indirectos.

O IPv6 foi notícia durante os últimos 12 meses mais do que em qualquer outro momento desde que o protocolo foi especificado em 1998:

– em Fevereiro, a Internet Assigned Numbers Authority delegou os últimos blocos de endereços IPv4 para as entidades de registo regionais da Internet;
– em Março, a Microsoft gastou 7,5 milhões de dólares para comprar cerca de 600 mil endereços IPv4 da venda por falência da Nortel;
– em Abril, a entidade de registo da Ásia APNIC usou todos excepto um punhado de endereços IPv4 que está a manter em reserva para operadores “start-up” de rede;
– em Junho, mais de 1.000 sites da Web, incluindo a Google, Yahoo e Facebook, participaram num bem-sucedido teste de 24 horas com o IPv6, no World IPv6 Day;
– em Novembro, a Comcast começou a implantação de serviços IPv6 na área de San Francisco (EUA).

“Há mais notícias sobre o IPv6 nos últimos 18 meses do que na última década”, diz John Brzozowski, arquitecto-chefe para o IPv6 na Comcast. Brzozowski fez os seus comentários a uma plateia de CIOs, CTOs e outros executivos de TI no seminário “The Critical Path to IPv6“, realizada na semana passada em Nova Iorque pela Network World.

Embora tenha havido muita conversa sobre IPv6 em 2011, os especialistas dizem que a implantação do IPv6 vai começar a valer em 2012. Isto porque a realidade da escassez de endereços IPv4 está finalmente a ocorrer.

John Curran, presidente e CEO da American Registry for Internet Numbers (ARIN), diz que a oferta norte-americana de endereços IPv4 vai acabar entre seis a 18 meses. A data exacta do esgotamento dos endereços IPv4 é difícil de prever, pois depende da rapidez com que os 10 maiores ISPs na América do Norte vão utilizar o restante espaço de endereços IPv4.

“O meu melhor palpite é que vamos acabar num ano e meio”, disse Curran no seminário da semana passada.
Curran considera que as empresas que precisam de ligações “end-to-end” com os seus utilizadores através da Internet – para aplicações como streaming de vídeo ou detecção de fraude – vão precisar de implantar o IPv6 em vez de confiarem nos seus operadores para lidar com a tradução IPv4-IPv6 por eles. Estas organizações “não têm escolha na implantação do IPv6″, disse Curran.

Um factor que irá conduzir à implantação do IPv6 em 2012 é o mandato do governo dos EUA que exige que as agências federais suportem o IPv6 em todos os seus 10 mil sites até Setembro de 2012.

Há evidências de que os sites já estão a aumentar os seus esforços de implementação do IPv6. Um estudo de Novembro da The Measurement Factory constatou que mais de 25% de endereços .com, .net e .org oferecem suporte para IPv6. Isso revela um aumento de 1.900% desde 2010, quando pouco mais de 1% de subdomínios suportava o novo protocolo. A maior parte deste aumento foi o resultado de uma entidade de registos de nomes de domínio – a GoDaddy – permitir o IPv6 para seus clientes.

“Houve mais adopção do IPv6 em 2011 do que em todos os anos anteriores combinados”, disse Paul Nicholson, director de marketing de produtos da A10 Networks, no seminário da Network World. Nicholson recomenda que as organizações comecem a permitir os seus sites com IPv6, quer em modo “dual-stack” ou com cargas de servidor para lidar com a tradução do protocolo. “A necessidade de mudança para IPv6 é crítica”, acrescentou.

Brzozowski diz que os executivos de TI não têm escolha senão implementar o IPv6, e quanto mais cedo começarem, melhor.
“É inevitável”, disse no referido seminário. “Já se deve estar nesse caminho ou, pelo menos, a pensar sobre a implantação do IPv6… Terá de fazer algo para permitir que a sua empresa continue a operar na Internet”.

A Comcast está a trabalhar na implementação do IPv6 há sete anos e espera oferecer um serviço de qualidade IPv6 a nível nacional em 2012. Depois de testar vários mecanismos de transição, como o encapsulamento e a tradução, a Comcast decidiu adoptar uma estratégia “dual-stack”.

“O IPv6 dá muito trabalho. Há uma grande quantidade de peças em movimento”, diz Brzozowski, incitando o público a planear o IPv6 agora. “Implementar simplesmente o IPv6 não é uma actividade trivial”.

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[0 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.