Google vai penalizar sites de pirataria

A empresa tecnológica Google anunciou na sexta-feira que vai modificar os algoritmos do seu motor de busca para dar menos visibilidade às páginas da Internet com conteúdos que infringem os direitos de autor, Pirataria .

google

Segundo publicado no blogue corporativo “Inside Search”, a atualização do motor de busca tornar-se-á efetiva na próxima semana.

Trata-se de uma alteração nos critérios de configuração da lista de resultados gerados em cada busca, para dar prioridade aos portais que oferecem conteúdos legítimos em detrimento dos que promovem conteúdos de pirataria , que serão relegados para posições menos destacadas.

Na mesma mensagem o executivo da Google explica que a identificação dos sites que merecem ser despromovidos nos resultados vai ser feita tendo em conta o número de pedidos de remoção de conteúdos que violem os direitos de autor recebidos pela empresa.

Ou seja, quanto maior o número deste tipo de pedidos um determinado site tiver, mais baixo aparecerá nos resultados das pesquisas feitas no motor de busca da Google.

Para Amit Singhal «estas alterações no ranking deverão ajudar os utilizadores a encontrar fontes de conteúdos legítimas e de qualidade mais facilmente»

 

Pirataria em Portugal:

Reduzir a taxa de pirataria de software em Portugal dos actuais 40% para 30% – um corte de 25% do total – teria um impacto positivo no PIB, ao longo de quatro anos, de 1150 milhões de euros, ou 0,6% do valor actual, estima a Universidade Católica.

Segundo as contas do estudo, apresentado nesta quinta-feira, este cenário hipotético de diminuição da pirataria em dez pontos percentuais permitiria ainda a criação de um pouco mais de mil empregos por ano e um aumento da receita fiscal na ordem de 320 milhões de euros no total dos quatro anos.

O relatório nota, porém, que o efeito não é linear e que os impactos na economia são mais ou menos sentidos consoante o nível de pirataria: num país com um nível já baixo, uma determinada redução tem um efeito menor do que num país onde a pirataria seja mais elevada. Para além disto,um corte de outra dimensão em Portugal não se traduziria necessariamente num aumento proporcional de riqueza e empregos.

A investigação foi realizada pelo Centro de Estudos Aplicados da Universidade Católica, conduzida pelo investigador Ricardo Ferreira Reis e apoiada pela Microsoft. A Associação de Empresas do Software associou-se à divulgação do relatório.

Ricardo Ferreira Reis admitiu na sessão de apresentação do relatório, em Lisboa, ser “pouco plausível uma redução de dez pontos percentuais” em Portugal, mas frisou que as conclusões sobre os impactos da quebra permitem dizer que “o caminho é claro: baixar”.

Os 40% de pirataria informática indicados para Portugal (com base nos dados da Business Software Alliance, que agrega empresas do sector em todo o mundo) colocam o país em 15.º lugar na Europa, em 13.º entre os 27 da União Europeia e em 21.º na lista da OCDE. Em patamares próximos estão países como França, Eslováquia, Hungria e Malta. Estes números, observa o estudo da Universidade Católica, colocam Portugal “a meio da tabela dos países mais desenvolvidos, longe dos piores, mas ainda com um longo caminho a percorrer”.

No geral, porém, os investigadores desenham um retrato positivo. “Portugal apresenta uma taxa de pirataria melhor do que a situação geral do país em muitas outras dimensões”, escrevem.

Ricardo Ferreira Reis chamou a atenção para o efeito positivo da distribuição de computadores portáteis nas escolas, dado que estes, por um lado, já são entregues com software licenciado e, por outro, contribuem para uma abertura tecnológica da população, o que tende a ter um impacto positivo na redução do uso ilegal de software.

Portugal é o único país no grupo dos mais afectados pela crise do Euro – em que estão também Irlanda, Grécia e Espanha – no qual a taxa se manteve estável entre 2009 (ano em que tinha tido uma ligeira redução) e 2011. A investigação, contudo, avisa que a crise financeira representa um risco para Portugal neste capítulo, devido à quebra de rendimentos da população.

No caso grego, é significativo o aumento da pirataria a partir de 2008, culminando no ano passado nos 61%. Espanha registou também uma subida, embora menos acentuada e está nos 44%.

Já a Irlanda e também a Islândia (que não está no euro, mas sofreu um colapso financeiro) tiveram um aumento da pirataria entre 2008 e 2010 e estão agora em trajecto descendente. Estes dois anos de surto acompanham um período economicamente problemático e o relatório lança mesmo a hipótese de ser um sinal do “fim da crise” nos dois países.

Parte do documento relaciona o nível de pirataria com indicadores económicos – por norma, os países com mais rendimentos são aqueles em que a pirataria tende a ser menor (entre as excepções estão a África do Sul, com um produto nacional bruto per capita baixo e um nível de pirataria relativamente baixo, e alguns estados do Médio Oriente, onde o fenómeno é inverso).

Portugal sai desta comparação com um resultado positivo: a taxa de pirataria é inferior ao que os rendimentos dos habitantes fariam supor.

Ganhamos pouco mas somos honestos…

 

O que pensa deste estudo sobre a pirataria em Portugal?

Será que a alteração do algoritmo de busca do Google vai ajudar a combater a Pirataria ?

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[5 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

3 thoughts on “Google vai penalizar sites de pirataria”

  1. hola yo tengo mi pagina de paginawebgratis.es ,lo he escrito en varias forma es para ver si apareciera en google,pero nada de que apareció, solo aparece escribiendo animemassexy.es.tl y nada mas, pero en google no lo aparece en nada en lo absoluto¿que debo hacer?
    y pregunta adicional¿google adsense aceptaria este modelo de pagina animemassexy.es.tl? porke yo vi pagina parecida que el mio y sale anuncio google en esas paginas.
    gracias por adelantado

  2. ainda bem…
    andam por ai sites no top que não têm a minima qualidade para tal…
    ainda por cima os donos recebem pela publiciade…
    axo bem que a google os penalize…

    parabens pelo blog

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.