Facebook provoca tanta dependência como a droga

A utilização desmesurada da rede social Facebook pode ser comparável à utilização de uma droga. Um estudo norueguês elaborou seis perguntas que permitem descobrir quem sofre de dependência.

adam-barak-facebook

Se para muitos utilizadores o Facebook já se tornou uma autêntica droga, o estudo da psicóloga Cecilie Schou Andreassen poderá ser-lhes muito útil.

Realizada na Universidade de Bergen, na Noruega, com base num estudo realizado em janeiro do ano passado a 423 alunos (227 raparigas e 196 rapazes), a “Escala Bergen de Dependência do Facebook” reúne seis perguntas que permitem determinar o tipo de relação que um indivíduo estabelece com a rede social, para avaliar o possível risco de ter dependência.

As perguntas são semelhantes às que os médicos utilizam para descobrir se o paciente é dependente de álcool ou drogas e permitem cinco modos de resposta gradual (“muito raramente”, “raramente”, “às vezes”, “frequentemente” e “muito frequentemente”). De acordo com Andreassam e a sua equipa, responder “frequentemente” ou “muito frequentemente” mais de quatro vezes pode ser preocupante.

9

Mas há mais. Publicados na revista académica “Psychological Reports”, os resultados da investigação evidenciam como a natureza “social” do Facebook, que evita o contacto face a face com o “amigo virtual”, faz com que a dependência da rede social seja mais comum nos jovens, nas pessoas mais ansiosas e socialmente inseguras. Os adultos, as pessas mais ambiciosas e organizadas são capazes de gerir melhor a sua relação com o Facebook, sem serem esmagadas pela rede social.

“O uso do Facebook aumentou rapidamente”, explicou a psicóloga ao jornal “Dailymail”. “Isto levou-nos a encontrar uma série de dependências relacionadas com os média sociais, que podem ser assemelhados às drogas.

Para aqueles que quiserem testar o seu grau de “dependência do Facebook”, são seis as questões a responder com a escala de avaliação acima mencionada:

1. Dispende muito tempo a pensar no Facebook e a ligar-se à Internet para usá-lo?
2. Sente a necessidade de usar o Facebook muitas vezes e por longos períodos de tempo?
3. Usa o Facebook na tentativa de esquecer problemas pessoais?
4. Já tentou reduzir a sua utilização do Facebook, mas não conseguiu?
5. Fica inquieto ou nervoso se o proibirem de usar o Facebook?
6. O uso do Facebook já teve efeitos negativos nos seus estudos ou trabalho?

 

Teste aqui a sua dependência do Facebook: GRÁTIS

 

Também sofre de dependência do Facebook ?

 

Deixe um comentário sobre a sua relação com o Facebook …

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[5 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.