Facebook está a destruir a sociedade e as relações

O facebook está a perder utilizadores porque ao que parece as pessoas já se aperceberam que podem estar a ser usadas sem se aperceberem. O problema é que, apesar das suas melhores intenções, o Facebook está a tornar-se cada vez mais num ciclo vicioso do “leva e traz”. O Facebook está a ser acusado muitas vezes que destrói, estraga e atrapalha os relacionamentos entre pessoas. Além disso, noutra perspectiva, o Facebook está não só a reflectir o nosso comportamento mas também a influencia-lo. Com o tempo, um serviço que deveria ligar a humanidade está, na verdade, a dividir-nos em bolhas classificadas por perfis comportamentais.

A forma como o feed de notícias do Facebook foi criada tem como principal ojectivo fazer o seguinte. Quanto mais nos revemos nas publicações de um determinado utilizador, mais frequentemente essas as publicações nos são mostradas. Ou seja, quanto mais nos envolver-mos com um tipo específico de assunto, mais vezes lhe será mostrado. Mas afinal de contas o que se passa com o facebook? Será que temos de deixar o Facebook?

 

Mas afinal o que é que o Facebook está a fazer mal?

Aparentemente não há nada de mal no Facebook. De facto, o Facebook só nos mostra aquilo em que realmente demonstramos interesse. O que há de mal com isso? O facebook está a fazer alguma coisa que não devia?

 

Facebook está a destruir sociedade e relações

1º- o Facebook ao mostrar-nos cada vez mais informação sobre um determinado assunto que demonstramos interesse.

Isso faz com que acabemos por construir um pequeno grupo “in-group” de amigos e tópicos dentro do Facebook. Nesses pequenos grupos estão todas as pessoas que dominam esse mesmo assunto. Ou seja, à medida que nos vamos habituando a interagir com esses pessoas, vamos lentamente mudando de comportamento. Ao interagimos mais com elas, reforçamos o nosso status no grupo. A principal consequência é que nos vamos isolando cada vez mais do resto dos nossos amigos e também de outros tipos de grupos.

 

2º – O Facebook selecciona todos aqueles assuntos que são mais chocantes e ultrajantes para os seus utilizadores.

De facto, é outra razão substancialmente pior que a primeira é a forma pela qual o o facebook consegue o referido nível de “envolvimento” dos utilizadores. Por isso utiliza uma métrica que inevitavelmente passa por escolher sempre os assuntos mais polémicos para mostrar aos seus utilizadores. Williams resumiu estas duas razões de uma maneira no mínimo brilhante:

Facebook is broken

Será que isto acontece só com o Facebook?

O primeiro problema aplica-se a todas as redes sociais com feeds com algoritmos “inteligentes” que optimizam o “envolvimento”. De facto, o Facebook pode influenciar o nosso comprotamento porque é apenas a maior e a mais influente de todas as redes sociais.

O segundo problema tem sido, por exemplo, uma das situação com que o serviço de televisão se depara há décadas. Porque a maioria da população acredita durante anos, que o crime violento continua a piorar. O shopping da sua cidade pode ser bombardeado por um terrorista a qualquer momento, que o resto do mundo está uma confusão devastado pela guerra. De facto, é a informação que nos chega regularmente pela televisão. É a informação que nos faz ter opiniões mal sustentadas apesar das evidências claras e facilmente disponíveis.

 

Mas então porque é que isto é assim?

Porque nos invadem a casa com noticias tão chocantes e que nos fazem ter tais opiniões? Pela simples razão de que “se sangra é porque interessa“. As notícias falsas, mais comummente chamadas de “‘Fake news’” já não são uma novidade. Com o desenvolvimento da tecnologia tornaram-se mais explícitas em vez de implícitas. Claro que não passa pela cabeça de ninguém sugerir que o Facebook, sozinho, tenha causado esta terrível tendência. Não podemos culpa-lo por tornar num demónio toda e qualquer pessoa de que se discorde. Estudos mostram que a polarização política é mais extrema em pessoas mais velhas , que de facto utilizam menos as redes sociais do que os jovens.

 

O que está a acontecer é muito mais complicado do que o Facebook nos estar a separar.

Mesmo assim, todos esperávamos que o século 21 o Facebook fosse melhor, mais compassivo, mais compreensivo que a Televisão do século XX. Mas infelizmente não é, aliás, as maneiras pelas quais é pior são muito mais pessoais. Esperávamos que estas tecnologias que tornam o mundo mais aberto e ligado uns com os outros fossem boas para todos nós. Talvez seja melhor se a métrica que a entidade, como por exemplo o Facebook, utiliza para optimizar o “envolvimento” for melhorada.

 

O “envolvimento” dos utilizadores está relacionado com a sua felicidade.

Atualmente parece bastante claro que o “envolvimento” está negativamente relacionado com a felicidade dos utilizadores. É de facto muito provável que isso esteja relacionado com o fator relacionamento :

Facebook is broken

A analogia que podemos utilizar para compreender esta questão é o aquecimento global que causa condições meteorológicas extremas. Quanto mais energia é lançada para a nossa atmosfera, mais ela se comporta de maneira bizarra e errática. O Facebook é como um poderoso gás de “efeito estufa” que é lançado para a nossa atmosfera social colectiva. A Televisão também era, é claro, mas era CO 2 em comparação com o metano do Facebook.

Por outro lado, não vamos entrar em questões de privacidade sobre o facebook, até por causa das ultimas polémicas sobre a rejeição de todos os princípios da web aberta. Não estamos a insinuar que isso seja especificamente culpa de alguém, ou mesmo que alguém tenha feito alguma coisa de muito errado. No passado nunca existiu nada semelhante ao Facebook e por isso é uma empresa que se tornou num grande experiência global e que tem conseguido excelentes resultados. Mas seria muito bom para todos nós que o Facebook, pelo menos, reconhecesse a possibilidade de que alguns dos resultados dessa enorme experiência parecem, na melhor das hipóteses, muito preocupantes ou até mesmo alarmantes.

 

O que fazer para mitigar os problemas do Facebook?

Por mais difícil que seja para o Facebook algo deveria ser feito para tentar mitigar os problemas.

facebook ferido morte

Pelos comentários recentes do fundador do Facebook fico feliz porque me parece que isso pode já estar a acontecer neste momento. Mark Zuckerberg comentou recentemente no Twitter que:

“o Facebook está a trabalhar  numa maneira de nos ligar com pessoas que deveríamos conhecer como nossos mentores.”

Espero que esta atitude seja um bom prenúncio para um novo foco do Facebook. Que ele de factop passe a optimizar o “envolvimento” de tal forma que não seja prejudicial para os seus utilizadores… O facebook deve sobretudo compreender que é sempre melhor evitar uma reacção hostil antes que ela comece. Ao contrário do que o Facebook está a fazer que é incentivar as pessoas para que ela ganhe força.

 

Já tentou apagar a conta do Facebook?

Há muitos utilizadores que nos últimos tempos têm apagado as suas contas do Facebook…

O que pensa desta situação toda? Será que acontece com todas as redes sociais?

Deixe um comentário com a sua opinião…

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[5 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.