Exploit kit Rig EK é o segundo malware mais usado no mundo

A Check Point Software Technologies Ltd revelou que o exploit kit Rig EK alcançou o segundo lugar na edição de Março do ranking de ameaças a nível mundial ‘Global Threat Impact Index’.

O Rig EK afecta o Flash, Java, Silverlight e o Internet Explorer. A sua cadeia de infecção começa pelo envio à vítima de uma landing page que contém um ficheiro JavaScript que procura por plugins vulneráveis e ataca-os.

Terror, outro exploit kit, também aumentou drasticamente o seu uso em Março, mas ficou fora da lista mensal das dez variantes de software malicioso ‘mais procuradas’.

As três principais famílias de malware de Março utilizam uma ampla gama de vectores e objectivos de ataque. O ransomware demonstrou ser uma das ferramentas mais rentáveis à disposição dos cibercriminosos durante 2016. Além disso, acedem muitas vezes aos terminais infectados através de um exploit kit, pelo que estes continuarão a ser uma ameaça muito presente.

O malware mais comum em Março, e o segundo mais comum em Portugal, foi o HackerDefender. Tal como o Rig EK, afectou 5% das empresas de todo o mundo.

O Conficker e o Cryptowall, as seguintes variantes mais comuns, atacaram cada uma 4% das organizações de todo o mundo.

Via Check Point Software Technologies Ltd.