Europa quer aplicar taxa extra aos gigantes tecnológicos

A Comissão Europeia está farta de ver os gigantes tecnológicos ganharem milhares de milhões de euros mas pagarem impostos ultra-reduzidos por por das manobras fiscais, e quer avançar com uma sobtetaxa extra sobre as suas receitas.

Organizações como a Amazon, Facebook, Apple e Google ganham “biliões” por ano, mas as taxas pagas na Europa são ínfimas, quer por fruto dos paraísos fiscais que existem por culpa da nossa própria Europa (a Amazon optou pelo Luxemburgo para as operações europeias, onde conseguiu pagar simplesmente 16.5 milhões de euros sobre receitas de 21.6 mil milhões de euros referentes à Europa), quer por serem negócios que não se enquadram no pagamento de impostos “tradicionais” e não são devidamente taxados.

Se por um lado se pode considerar a criação duma taxa adicional de 3% sobre as receitas uma hipocrisia (ver o caso acima citado, de ser um próprio país Europeu a facilitar o pagamento de impostos ultra-reduzidos – ou portanto relembrar a nossa famosa sobretaxa sobre o combustível, criada por estar “barato demais”… mas que permanece mesmo já não estando nada barato) por outro lado há efectivamente que equacionar se estes verdadeiros impérios digitais estão pagar impostos que se poderiam considerar justos face ao que ganham.

Imaginando-se um mundo que caminha para um futuro muito mais robotizado e automatizado, é necessário repensar a estrutura dos rendimentos e a sua distribuição… Levado ao extremo, se 90% da população não tiver emprego nem rendimentos, também estas organizações cairão por não terem clientes capazes das sustentar… Pelo que há que encontrar um ponto de equilíbrio que permita manter um mercado (e sociedade) saudável.

Dito isto… penso que será injusto centrarem-se simplesmente nas organizações tecnológicas… já que o mesmo deveria ser criado a todas as organizações, independentemente de se centrarem na internet ou serem “tradicionais”, e que também recorrem a todo o tipo de tácticas para escaparem aos impostos. Ou será que por um lado querem taxar simplesmente quem tem êxito, enquanto do outro lado continuam a permitir que as organizações europeias (e internacionais) continuem a “fugir” para o Luxemburgo, Irlanda, e outros países que façam o maior desconto, prejudicando os seus vizinhos europeus?

Fonte: Abertoatedemadrugada

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[0 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.