Cientistas suecos querem criar cópias digitais de mortos

 

Especialistas suecos decidiram criar cópias digitais de pessoas mortas. O próximo passo é criar robôs com um aspecto similar com o dos falecidos.

Uma empresa funerária sueca, a Fenix, está a pesquisar voluntários para um projeto que promete revolucionar a forma como encaramos a morte. O projeto tem como principal objetivo fazer com que as famílias sejam capazes de comunicar com os familiares que já faleceram, através do utilização da inteligência artifical .

A ideia é criar cópias digitais dos ente queridos através de bots conversacionais, programas informáticos que oferecem respostas automáticas e simulam e mantêm uma conversa com um individuo, informa a Dagen. O passo seguinte é conseguir copiar a personalidade do defunto, para que os familiares enfrentem o luto de forma diferente.

Na primeira fase do projeto, os cientistas planeiam recriar, com a ajuda de inteligência artificial, a voz do falecido .

As cópias digitais serão capazes, num primeiro momento, de responder a perguntas fáceis, como por exemplo, respostas relacionadas com os preparativos funerários. Em seguida, o programa informático será capaz de responder com a voz do falecido às perguntas mais difíceis, como perguntas sobre o clima ou a vida quotidiana.

Os inventores dizem que, há 30 anos, os familiares não tinham outra opção para lembrar os seus familiares próximos, senão por fotografias . Hoje em dia, graças à inteligência artificial, eles terão a possibilidade de “falar” com o programa computacional, imaginando que falam com o ente querido.

Entretanto, alguns dos cientistas mais conhecidos do mundo, incluindo Stephen Hawking e Elon Musk , advertiram diversas vezes para o perigo que representa a inteligência artificial.

Apesar de admitir o grande potencial da IA na hora de lidar com a pobreza e algumas doenças, o físico britânico Stephen Hawking afirmou que a inteligência artificial está associada a diversos perigos .

Em novembro, o fundador da empresa espacial SpaceX, Elon Musk, afirmou que a inteligência artificial pode ser mais perigosa do que armas nucleares . De acordo com Musk, é muito provável que a IA saia do controlo dos humanos e decida se livrar deles.

Fonte: ZAP

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[0 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.