13 dicas simples para melhorar velocidade site lento wordpress

Neste artigo vamos revelar mais de 10 maneiras para acelerar a velocidade de carregamento do seu site lento WordPress. São dicas que vão da escolha correcta do serviço de alojamento e o próprio tema, otimização das imagens e a identificação dos plugins mais lentos.

Não há nada pior que um site que leva uma eternidade para carregar, certo?

Se você é como a maioria dos utilizadores da Internet, isso certamente que o incomoda e pode até mesmo induzir-te a pressionar o botão “voltar” antes mesmo que o conteúdo do site seja carregado totalmente (especialmente no telemóvel!). Além disso, é claro que você definitivamente não quer que o seu site WordPress seja um desses que demoram a carregar. Além de melhorar a experiência do utilizador, a optimização da velocidade do seu site em WordPress pode aumentar a sua taxa de conversão.

De facto, desde 2010 que o Google utiliza a velocidade da página como um fator de classificação de sites nos seus resultados do motor de busca. Aliás está nos planos da Google usar a velocidade dos sites na Internet como factor de classificação dos resultados de pesquisa para dispositivos móveis a partir de julho de 2018. Tendo em conta este dois factores importantes, devemos concentramos já em otimizar o desempenho dos nossos websites.

Mas o que é preciso para melhorar rapidamente o desempenho do meu site?

De facto, não basta utilizar ferramentas para criar o seu site em wordpress como é o caso do Elementor. Se pretende criar um blogue pode encontrar um guia passo a passo aqui. Se realmente quer acelerar o seu site em WordPress e fazer com que carregue o mais rápido possível, precisa indiscutivelmente de adotar uma abordagem mais ampla. Neste artigo, vamos partilhar alguma dicas simples que certamente ajudam a acelerar rapidamente o seu site em WordPress. Embora algumas dessas dicas estejam relacionadas com sites criados utilizando a ferramenta Elementor, todas elas se podem aplicar a outros tipos de sites em WordPress.

7 grandes optimizações de desempenho por onde pode começar

Há uma quantidade enorme de pequenos ajustes de desempenho que você pode fazer e que pode consultar na próxima secção. Mas as próximas sete dicas de optimização vão dar-lhe o maior retorno em termos de desempenho para o investimento que faz em termos de tempo quando se trata de acelerar o seu site WordPress. Para começar e fazer um ponto da situação, teste o seu site com o Pingdom Tools ou Gtmetrix antes de fazer qualquer tipo de alteração ou reconfiguração. Desta forma, você passa ter noção exacta de quanto é que estas dicas conseguem ou não acelerar o seu site WordPress.

1 – Escolha um serviço de alojamento optimizado para desempenho

Todos os outros ajustes desta lista de dicas actuaram sobre os parametros de desempenho que realmente pode controlar no seu site. Existem outros tipos de ajustes que você não pode contornar directamente e estão relacionado sobretudo com os seu serviço de alojamento. O seu site será tão rápido quanto o sistema em que está alojado. Ou seja, apesar de poder tornar o seu site mais rápido com as dicas a seguir, não pode torná-lo mais rápido sem que o serviço de alojamento seja optimizado para o desempenho.

Bons serviços de alojamento orientados para o desempenho

A primeira coisa com que se deve preocupar é se o serviço de alojamento oferece pelo menos a tecnologia PHP 7 ou superior. O sistema PHP 7 permite atingir melhores resultados de desempenho em em comparação com as versões mais antigas do PHP 5, que infelizmente muitos serviços de alojamento ainda estão a utilizar. U

m serviço de alojamento WordPress com uma gestão de qualidade deve oferecer PHP 7 em conjunto com uma enorme quantidade de outros ajustes de desempenho. Servem sobretudo para ajudar o seu site em WordPress a carregar mais rapidamente e são sistemas como por exemplo cache ao nível do servidor onde o seu site está alojado. Tendo em conta o seu orçamento a SiteGround e a InMotion Hosting oferecem planos geridos de alojamento rápido para sites em WordPress.

Mas à medida que o seu site vai crescendo talvez tenha de pensar em soluções mais profissionais com a Kinsta , WP Engine e o Liquid Web que conseguem oferecer soluções com mais qualidade. Qualquer um dos serviços de alojamento anteriores deve ser capaz de executar a ferramenta de criação de sites o Elementor. Mas se por qualquer outra razão você escolher outra opção, aqui estão as especificações que deve ter em conta para maximizar o desempenho do Elementor :

  1. PHP 7+
  2. MySQL 5.6+
  3. Mínimo 64MB de memória WordPress. Idealmente 128 MB ou mais.

2 – Escolha sempre um tema leve que tenha uma base sólida

Mesmo que você esteja a utilizar uma ferramenta como o Elementor para criar a maior parte do seu conteúdo, o tema que escolheu para o seu WordPress terá sempre um papel importante na velocidade de carregamento do seu site. De facto, podemos falar por experiência própria. Quando mudamos o www.informatico.pt para um tema mais leve (GeneratePress), conseguimos reduzir 48% dos tempos de carregamento da página principal.

Sim, foi uma mudança abismal!

Por isso, quando pensar em escolher um tema para melhorar o desempenho do seu site, tenha sempre em consideração os 2 factores a seguir. Os temas orientados para o desempenho devem ser:

  1. Leves em termos de tamanho de ficheiros e solicitações;
  2. Modulares para que você possa escolher apenas os recursos que deseja.

Bons temas WordPress orientados para o desempenho

Todas as opções a seguir são óptimas, especialmente se você estiver a usar um construtor de páginas como o Elementor:

  1. Hello Theme – A equipa por de trás do Elementor criou este tema leve disponível apenas para utilizadores do Elementor Pro.
  2. GeneratePress – Um tema leve e popular de Tom Usborne.
  3. Gênesis – Uma estrutura de temas, em vez de um único tema. Popular entre os programadores.
  4. Astra – Outro tema leve e personalizável e com muitas integrações para plugins como WooCommerce e LifterLMS.
  5. OceanWP – leve, personalizável e oferece muitas extensões gratuitas e premium úteis.

3 – Optimize automaticamente todas as imagens do seu site

De acordo com alguns artigos, as imagens representam cerca de 50% do tamanho total dos ficheiro de uma página normal. De facto, as imagens contribuem bastante para o tamanho dos ficheiros que a sua página precisa de carregar. Por isso, pode e deve tentar conseguir obter algumas melhorias de desempenho otimizando simplesmente as suas imagens. Existem dois aspectos principais que deve ter em consideração quando tentar otimizar as imagens que utiliza no seu site WordPress.

A- Esteja atento às dimensões reais das imagens.

Se o seu tema mostrar apenas imagens com até 800px de largura que é um tamanho bastante normal, não faz sentido continuar a enviar imagens de 3.000px  ou mais para o seu site. Excluindo os sites de fotografia ou similares, mesmo para ecrãs com o sistema retina, o envio de imagens muito maiores que o tema pode suportar é no mínimo um desperdício de espaço! Assim, o primeiro passo consiste em redimensionar as imagens do seu site para a largura máxima que o seu tema pode suportar.

B- Tenha cuidado com a compactação das imagens.

A compactação das imagens consiste na optimização do seu tamanho, não em termos de largura e altura, mas sim em termos de tamanho do ficheiro em Mbs. Para este processo de compactação podem ser usados dois tipos de métodos:

  1. Com perdas – grandes reduções de tamanho de ficheiro, mas também alguma perda de qualidade.
  1. Sem perdas – reduções de tamanho menores, mas sem qualquer tipo de perda de qualidade.

Dependendo da importância da qualidade da imagem para o seu conteúdo, você pode escolher entre os dois métodos de compactação. A maioria dos sites pode usar com segurança a compactação com perdas. Para redimensionar e compactar automaticamente as imagens que você envia para o seu site WordPress, você pode utilizar alguns plug-ins de qualidade:

  1. ShortPixel – cobra-lhe com base no número de imagens que você optimiza. Sem restrições de tamanho. Gratuito para até 100 imagens por mês.
  2. Imagify – cobra-lhe com base no tamanho em MB das imagens que você otimiza. Sem restrições de número de imagens. Gratuito para até 25MB por mês.
  3. Smush – solução 100% gratuita, mas apenas para compactação sem perdas . Com restrições no tamanho maximo do ficheiro (até 1MB).

Interface do ShortPixel

4 – Procure e livre-se dos Plugins lentos do WordPress

Ao contrário de um mito muito popular entre os criadores de websites, não existe uma correlação direta entre o número de plug-ins que tem instalados e a velocidade do seu site. Ou seja, nem todos os plug-ins afetam negativamente a velocidade do seu site. O ideal é saber qual dos plugins afecta mais o desempenho do site e tentar ver-se livre dele. Mas, em vez de tentar remover arbitrariamente os seus plugins, você pode tentar reduzir especificamente a quantidade de plugins que estão realmente a tornar o site mais lento.

Como encontrar os plugins do WordPress que tornam o site mais lento

Aqui estão duas maneiras bastante acessíveis por onde pode começar:

Primeiro, você pode usar o plug-in gratuito P3 (Plugin Performance Profiler) se ainda estiver a utilizar o  PHP5, o que já não deveria estar a fazer. Mas se você ainda não trocou de serviço de alojamento este plugin é o método mais fácil que pode utilizar para encontrar os plugins vampirus. Embora o plugin já não seja atualizado há algum tempo, ainda funciona bem na maioria dos servidores que ainda utilizam o PHP5.

Por outro lado, se o seu servidor já utilizar o PHP 7 é bom para o desempenho do seu site mas não tão bom porque já não pode utilizar o plugin P3. Assim, a maneira mais amigável para encontrar plugins “vampirus” é através do separador Waterfall de uma das seguintes ferramentas: GTmetrix ou Pingdom. Para isso, basta abrir um desses sites e analisar os vários pedidos que aparecem nos resultados para tentar encontrar quais são os principais pontos de estrangulamento. Você pode passar o rato sobre uma das linhas para ver qual o endereço URL dela e assim ter uma ideia melhor de qual o plug-in que está na origem de cada pedido:

Se não gosta desta solução pode optar sempre por outra ferramenta, embora não seja muito acessível para utilizadores mais comuns. É de facto uma ferramenta muito útil mas que requer mais alguns conhecimentos técnicos para se utilizar eficazmente. É um plugin gratuito para Wodpress e chama-se Query Monitor.

 

O que deve fazer com os plugins que atrasam o seu site

Bem, a resposta mais óbvia seria desinstala-los, se forem desnecessários, ou encontrar alternativas mais focadas na optimização do desempenho. Pode optar por alguns plugins que o podem ajudar a matar dois coelhos com uma cajadada. Por exemplo, o Elementor Pro pode eliminar a necessidade de utilizar vários plug-ins, já que trás embutidas varias funcionalidades desenvolvidas com o foco no desempenho:

  1. Sliders
  2. Formulários
  3. Botões de partilha social
  4. Temporizadores de contagem regressiva
  5. etc.

5 – Minimize o código e agrupe os ficheiros automaticamente

Minificação e concatenação são duas táticas para diminuir consideravelmente o tamanho e o número de ficheiros de código do seu site sem alterar nenhuma das funcionalidades subjacentes. A minimização funciona removendo caracteres desnecessários como espaços em branco e quebras de linha. A concatenação funciona agrupando vários ficheiros semelhantes num só. O plug-in Autoptimize consegue fazer estas duas coisas e além disso +e completamente gratuito. Tudo o que você precisa de fazer é configura-lo conforma a imagem a seguir:

Mas, se você passar a ter algum problema com o seu site, o que deve tentar fazer é voltar a desativar a otimização de JavaScript e verificar se isso lhe resolve o problema.

6 – Use o cache de páginas para gerar versões HTML estáticas do seu conteúdo

Os sistemas de Cache de páginas são o santo graal dos artigos sobre os metodos de como acelerar o WordPress. Não deve ser usado como a unica solução para problemas de desempenho mas, com este pequeno ajuste, pode conseguir algumas melhorias importantes no desempenho. O sistemas de cache de páginas funcionam criando uma versão HTML estática da sua página para depois a mostrar servir aos visitantes. Ou seja, em vez de forçar o servidor a gerar uma página a partir da base de dados e dos ficheiros PHP, para cada visita, o sistema cache guarda uma c+ioa já completa dessa página.

Hoje em dia, muitos serviços de alogamento geridos para WordPress já  implementam o cache de páginas a nível do servidor. Por isso pode não ser realmente necessário ter de fazer esta configuração sozinho se já estiver a usar um serviço de alojamento gerido para WordPress. Mas se o seu serviço de alojamento não implementar sozinho o sistema de cache de páginas, você poderá fazê-lo recorrendo simplesmente a um plugin.

Há uma enorme quantidade de plugins de cache, mas algumas das melhores soluções são:

  1. Cache Enabler – um plugin leve do pessoal do KeyCDN. Fuinciona muito bem com o Autoptimize, mas certifique-se de desativar a minificação se estiver a utilizar a Otimização Automática ).
  2. WP Super Cache – solução gratuita da Automattic que teve sempre um bom desempenho nos testes.
  3. Swift Performance Lite – plugin que tem recebido ótimas críticas no grupo do Facebook WordPress Speed ​​Up .
  4. WP Rocket – só existe na versão premium e permite fazer uma serie de outros ajustes de desempenho que vão além do cache de páginas.

A interface do plugin do Enabler de Cache

7 – Implementar uma rede de distribuição de conteúdo CDN

Uma rede de distribuição de conteúdo, ou CDN, ajuda a acelerar o seu site. Principalmente quando os seus visitantes estão espalhados por todo o mundo. Sem um CDN, cada pessoa que visita o seu site, que esteja em Portugal ou na China, precisa de descarregar as páginas do mesmo local (seu servidor). Um CDN guarda cópias dos ficheiros do seu site em vários locais espalhados pelo mundo. Dessa forma, os browsers podem fazer o download de seu site a partir do local mais próximo deles. Isto resulta numa menor latência e em tempos de carregamento de página aprimorados.

De facto é muito barato ou melhor é grátis!

Na verdade pode aproveitar a tecnologia CDN grátis utilizando o serviço Cloudflare. Embora a Cloudflare tenha planos pagos o plano gratuito é adequado à maioria dos sites. Assim, para ter o seu site WordPress configurado com o Cloudflare, só precisa de:

  1. Inscrever-se na Cloudflare
  2. Alterar os servidores DNS do seu domínio para os DNS da Cloudflare

É muito simples, mas se precisar de mais ajuda, não hesite em nos contatar aqui. Também existem algumas configurações específicas do WordPress para o Cloudflare.

Ajustes de desempenho mais pequenos mas a considerar

Estes ajustes podem não ser tão importantes quanto as dicas acima mas também podem ser uteis. De facto, podem ajudá-lo a conseguir mais algumas melhorias de desempenho para o seu site. Se não quiser reinventar a roda, alguns plug-ins de desempenho podem ajudar. São capazes de implementar muitos destes ajustes automaticamente:

  1. WP Rocket (premium)
  2. Swift Performance (freemium)

8 – Ative a compressão GZIP e reduza 70% o tamanho dos ficheiros

A compressão GZIP é uma maneira fácil de compactar os ficheiros enviados do seu servidor para o browser das suas visitas. Com isso pode reduzir o tamanho das suas páginas em aproximadamente 70%, o que é uma melhoria considerável.

Também é fácil de implementar.

Supondo que o seu servidor esteja a usar o Apache só precisa adicionar este snippet de código ao ficheiro .htaccess do seu site:

# Compress HTML, CSS, JavaScript, Text, XML and fonts
AddOutputFilterByType DEFLATE application/javascript
AddOutputFilterByType DEFLATE application/rss+xml
AddOutputFilterByType DEFLATE application/vnd.ms-fontobject
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-font
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-font-opentype
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-font-otf
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-font-truetype
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-font-ttf
AddOutputFilterByType DEFLATE application/x-javascript
AddOutputFilterByType DEFLATE application/xhtml+xml
AddOutputFilterByType DEFLATE application/xml
AddOutputFilterByType DEFLATE font/opentype
AddOutputFilterByType DEFLATE font/otf
AddOutputFilterByType DEFLATE font/ttf
AddOutputFilterByType DEFLATE image/svg+xml
AddOutputFilterByType DEFLATE image/x-icon
AddOutputFilterByType DEFLATE text/css
AddOutputFilterByType DEFLATE text/html
AddOutputFilterByType DEFLATE text/javascript
AddOutputFilterByType DEFLATE text/plain
AddOutputFilterByType DEFLATE text/xml
# Remove browser bugs (only needed for really old browsers)
BrowserMatch ^Mozilla/4 gzip-only-text/html
BrowserMatch ^Mozilla/4\.0[678] no-gzip
BrowserMatch \bMSIE !no-gzip !gzip-only-text/html
Header append Vary User-Agent

Por outro lado, alguns serviços de alojamentos também permitem fazer isso via cPanel. Por exemplo, o SiteGround inclui uma opção para otimizar o site no seu painel cPanel:

Depois de ativar a compactação GZIP,  pode verificar se está a funcionar corretamente. Utilize a seguinte ferramenta gratuita para verificar o sistema de compressão GZIP .

9 – Reduzir pedidos HTTP e livrar-se dos atrasos

Sempre que alguém acede ao um site, o seu browser faz um “pedido” http. É composto por uma lista de ficheiros necessários para poder “criar” a página web. Inclui código HTML, CSS, imagens e ficheiros e scripts externos. Como por exemplo o seu código de acompanhamento do Google Analytics. Já viu um exemplo destes pedidos em cascata nos tópicos anteriores. Quando tentamos mostrar como pode descobrir os plugins mais lentos.

De facto, cada pedido pode levar uma quantidade de tempo diferente. Portanto, podemos concluir que mais pedidos HTTP tornam os sites mais lentos. Por isso as ferramentas como o Pingdom e o GTmetrix são muito uteis. Podem descobrir facilmente o número de pedidos do seu site:

Sim, a Otimização automática como a concatenação ajudam a reduzir o número de pedidos. Mas também pode executar algumas tarefas manualmente para corrigir o problema. Não vamos aprofundar-nos muito mas consegue algumas melhorias rápidas com:

  1. Não utilizar o Google Fonts
  2. Desativar o Font Awesome Icons
  3. Desativar Gravatars

Pode por exemplo desativar o Google Fonts e o Font Awesome no construtor de sites Elementor. Basta para isso adicionar o código a seguir a um plug-in como o Code Snippets, ao ficheiro functions.php ou ao seu tema “filho”:

add_filter( ‘elementor/frontend/print_google_fonts’, ‘__return_false’ );
add_action( ‘wp_enqueue_scripts’, function() { wp_dequeue_style( ‘font-awesome’ ); }, 50 );

Para encontrar informação mais detalhada sobre este tópico, consulte o artigo do plugin WP Rocket.

10 – Configurar um sistema de cache do browser

O armazenamento em cache do browser é outro tipo de otimização que pode acelerar o carregamento do seu site. Mas, é um método diferente do método de cache de página, mencionado anteriormente. O cache do browser pede aos navegadores para armazenarem certos tipos de ficheiros no computador local. Depois, da próxima vez que visitarem a página do site, o browser poderá carregar as versões de alguns ficheiros guardadas em cache. Em vez de esperar pela resposta do servidor, o que traduz em tempos de carregamento muito mais rápidos. Para ativar o cache do browser manualmente, só precisa de adicionar o seguinte código ao ficheiro .htaccess do seu site:

<filesMatch “.(ico|pdf|flv|jpg|jpeg|png|gif|js|css|swf)$”>
Header set Cache-Control “max-age=84600, public”

11 – Otimize a base de dados e livre-se da desordem

A base de dados de um site é o local onde o conteúdo e as configurações são guardados. Com o tempo, essa base de dados, acumula toneladas de lixo sobe a forma de:

  1. Revisões de artigos e páginas
  2. Artigos, páginas e comentários na reciclagem
  3. Etc.

No entanto é pouco provável que consiga uma grande melhoria nos tempos de carregamento apenas com a limpeza da base de dados. Mas se também otimizar a base de dados, ai, consegue que seja executada com mais eficiência. O plugin WP-Optimize pode ajudar a limpar esse lixo da sua base de dados. Na próxima seção explicamos com impedir que a sua base de dados acumule mais lixo.

12 – Utilize o Plugin WP-Disable para se livrar do lixo

O plugin WP-Disable pode ajudar a fazer alguns ajustes pequenos de desempenho através de uma interface amigável. Pode brincar com as suas configurações, eis o que geralmente gostamos de fazer:

  1. Desativar emojis que é um ficheiro javascript que o WordPress adiciona ao seu site e que não precisa, se não utiliza emojis.
  2. Remover frases de consulta ou Querystrings, que já é feito por muitas ferramentas de otimização de sites.
  3. Altere a frequência da API para 60 segundos para diminuir a carga do seu servidor e conseguir mais benefícios da API Heartbeat .
  4. Mudar as revisões para 1 apesar de algumas pessoas preferirem desativar completamente as revisões. Mas é útil manter pelo menos uma revisão do seu artigo ou página.
  5. Desativar a incorporação do Google Maps se não precisar dele. De facto a grande maioria dos sites pode bem sobreviver sem o Google Maps. O plug-in permite que exclua apenas determinadas páginas se precisar de usar o Google Maps numa página específica.

13 – Desative o hotlinking e acabe com os “Vampiros”

O Hotlinking acontece quando outras pessoas utilizam as imagens alojadas no seu servidor nos seus próprios sites. Com isso, o seu servidor precisa de carregar as imagens para as mostrar no site da outra pessoa. O hotlink pode esgotar rapidamente os recursos do seu servidor e consumir a sua largura de banda. Não deixe as outras pessoas se aproveitarem de si e dos seus recursos. De facto é fácil bloquear o hotlinking, basta adicionar o código a seguir ao ficheiro .htaccess do seu site:

RewriteEngine on
RewriteCond %{HTTP_REFERER} !^$
RewriteCond %{HTTP_REFERER} !^http://(www\.)example.com/.*$ [NC]
RewriteRule \.(gif|jpg|jpeg|bmp|zip|rar|mp3|flv|swf|xml|php|png|css|pdf)$ – [F]

Certifique-se de substituir “example.com” pelo seu próprio nome de domínio.

Dica Extra: Utilize o construtor de páginas Elementor

O Elementor foi criado para nunca atrapalhar o desempenho do seu site já que:

  1. Segue padrões de código de optimização
  2. Usa ficheiros CSS externos
  3. Gera pequenos ficheiros CSS com regras CSS personalizadas para cada página
  4. Utiliza o atributo “srcset” para todos os widgets de imagem

Com isso consegue garantir que o conteúdo que você cria com o Elementor é carregado o mais rápido possível. Mas para conseguir que todo o seu site seja carregado rapidamente, tem de ter a certeza que o resto também está otimizado. Para isso basta ter seguido as dicas deste artigo e deve ser capaz de otimizar sozinho o desempenho do seu site. Pegue já numa caneca de café e passe a sua tarde a fazer estas pequenas otimizações. No final desfrute de um site WordPress muito mais rápido e simplificado!

Se mesmo assim encontrar algum tipo de problema ou anomalia no desempenho do seu site, estamos aqui para ajudar.

O informático.pt em parceria com o moradaonline.com podem ajudar nesta árdua tarefa de otimização de sites.

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

Inscreva-se e Receba Grátis:

  • Últimas Notícias sobre Tecnologia
  • Promoções de produtos e serviços
  • Ofertas e Sorteios de equipamentos
Avaliar Artigo:
[5 Estrelas]

DEIXAR COMENTÁRIO:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Categorias:

PROBLEMAS INFORMÁTICOS?
Escolha aqui um serviço!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Pode consultar mais informação no Centro de Privacidade.